Veja quais vacinas são recomendadas em diferentes países; Brasil tem mais de 20 tipos em seu calendário

sábado, 14 de julho de 2018

Enquanto o Brasil é um dos países mais rigorosos no que diz respeito ao calendário de vacinação nacional, europeus costumam ser mais flexíveis. Movimentos antivacinas e surtos de sarampo preocupam mundo afora.

No século 20, o mundo viveu uma epidemia de varíola que, entre as décadas de 1900 e 1970, deixou cerca de 500 milhões de mortos. Nos anos 1960, países de todo o mundo se uniram em campanhas de vacinação, fazendo com que a doença infecciosa, sem cura, se tornasse a única enfermidade a ser totalmente erradicada. O último caso notificado no Brasil foi em 1971, e no mundo, em 1977, na Somália.

Ao longo do século passado, as vacinas foram decisivas para que doenças infecciosas fatais fossem controladas. Contudo, em 2015, a Organização Mundial de Saúde (OMS) emitiu um alerta global, informando que uma em cada cinco crianças no mundo não recebe as vacinas básicas.

Com a baixa imunização das populações na última década, doenças que já estavam controladas na maior parte do mundo estão voltando a circular com grande intensidade. É o caso do sarampo, responsável por surtos na América e na Europa; as hepatites, que já matam mais que o HIV; e a poliomielite.

No Brasil, pelo menos 312 cidades estão sob alerta de volta do vírus causador da poliomielite, também conhecida como paralisia infantil, e entre 1º de janeiro e 23 de maio deste ano, foram registrados 995 casos de sarampo no país.

A baixa imunização nesta década tem sido atribuída a movimentos de contestação a vacinas, que argumentam contra a quantidade de vacinas que devem ser tomadas ao longo da vida, duvidam de sua segurança ou disseminam teorias da conspiração que ligam vacinas a casos de autismo ou morte.

No Brasil, o Ministério da Saúde também alerta para o esquecimento dos brasileiros sobre determinadas doenças que não ocorriam mais no território, fazendo com que essas pessoas não vejam mais a necessidade de se vacinarem e vacinarem seus filhos.

Segundo a OMS, as vacinas representam o tratamento com melhor custo-benefício em saúde pública, pois evitam 2,5 milhões de mortes por ano e reduzem os custos dos tratamentos específicos de doenças evitáveis.

Vacinas recomendadas globalmente

Entre as vacinas recomendadas mundialmente estão: a tríplice viral, contra os vírus do sarampo, rubéola e caxumba; vacinas contra a difteria, tétano, hepatite B e coqueluche; e a vacinação anual contra a Influenza, vírus causador da gripe.

Cada país tem seu calendário de vacinação nacional, que segue as recomendações globais e regionais da OMS e pode mudar de tempos em tempos, de acordo com eventos locais.

Em alguns países da Europa, o calendário de vacinação é mais flexível e contempla menos vacinas em relação à América. No Brasil, o esquema é mais rigoroso, com vacinas obrigatórias que costumam ser dadas logo nos primeiros anos de vida.

Brasil

O Plano Nacional de Imunizações, do Ministério da Saúde, atualmente oferece de graça 27 vacinas a toda a população, de todas as faixas etárias. Essas vacinas combatem sarampo, caxumba, rubéola, tétano, tuberculose, febre amarela, difteria, coqueluche, poliomielite, influenza e HPV.

Cada brasileiro tem sua própria caderneta de vacinação. É de responsabilidade dos pais manter o documento atualizado durante a infância, período em que se concentra a maioria das vacinas obrigatórias no Brasil.

Além disso, uma vez por ano, no outono, assim como em outros países do mundo, acontece a campanha nacional de vacinação contra a Influenza. Diferentemente das outras vacinas – que têm dose única ou uma dose de reforço – a vacina contra a gripe tem duração de 12 meses e, por isso, deve ser tomada todos os anos. Outra diferença é que ela é oferecida de graça por poucos meses e somente para grupos de risco: crianças de seis meses a 5 anos; adultos a partir dos 60 anos; pacientes com doenças crônicas pulmonares, cardíacas ou metabólicas e com alterações de imunidade; gestantes; indígenas; privados de liberdade; profissionais de saúde; e professores da rede pública.

Detran realiza vistoria em veículos de transporte escolar em Pernambuco

terça-feira, 03 de julho de 2018

Fiscalização tem início nesta terça (3) e segue até o dia 31 de julho. Objetivo é verificar itens de segurança nos carros da frota do estado.

 

Tem início nesta terça-feira (3) a vistoria do transporte escolar em Pernambuco. Realizada pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran), a ação busca garantir a segurança dos passageiros que circulam nos 1.317 veículos que fazem parte da frota.

No Recife, a vistoria acontece na Unidade de Táxis e Coletivos (DUAT), na Avenida Professor Joaquim Cavalcanti, 859, no bairro da Iputinga, sempre das 14h às 16h. Para os veículos do interior, a inspeção é feita nas Circunscrições Regionais de Trânsito, de segunda a sexta, das 8h às 13h.

A fiscalização, que ocorre duas vezes ao ano, é feita após o pagamento de uma taxa anual de R$ 200. Para os condutores que já fizeram o pagamento no primeiro semestre, o pagamento não é necessário na vistoria do mês de julho.

“Essa fiscalização é importante porque os veículos transportam nossos filhos”, afirma o presidente do Detran-PE, Charles Ribeiro. De acordo com o órgão, não é necessário agendar a vistoria dos veículos. O calendário das fiscalizações, no entanto, varia de acordo com a terminação das placas.

Cronograma de vistoria de veículos de transporte escolar em Pernambuco.

Data Placas
Entre 03/07 e 06/07 1 e 2
Entre 09/07 e 13/07 3 e 4
Entre 16/07 e 20/07 5, 6 e 7
Entre 23/07 e 31/07 8, 9 e 0

De acordo com o assessor do Sindicato dos Transportadores Escolares de Pernambuco (Sintespe), José Bezerra, os itens de segurança do veículo são os alvos da vistoria. “A fiscalização busca verificar se os veículos têm a tarja de transporte escolar e se todos os bancos têm cinto de segurança”, afirma.

Caso o motorista não leve o veículo para ser vistoriado, é possível pagar multa. “É uma infração grave, que pode render cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação e a perda do direito de dirigir um veículo de transporte escolar”, afirma Ribeiro.

Concurso para advogados da UPE é suspenso após solicitação do Ministério Público de Contas

sexta-feira, 29 de junho de 2018

Irregularidades denunciadas por advogados da Universidade de Pernambuco, como ausência da OAB na comissão de seleção e falta de prova discursiva, motivaram suspensão.

O governo de Pernambuco suspendeu, nesta sexta (29), o edital do concurso para advogados atuarem na Universidade de Pernambuco (UPE). A decisão foi publicada no Diário Oficial após o Ministério Público de Contas (MPCO), ligado ao Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco (TCE-PE), solicitar a suspensão do certame por irregularidades denunciadas por advogados da instituição de ensino.

Entre as irregularidades encontradas no processo seletivo, estão a ausência de um representante da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) na comissão do concurso e de uma previsão de prova discursiva na seleção. Os ofícios foram enviados pela procuradora geral do Ministério Público de Contas, Germana Laureano, à Reitoria da UPE e à Secretaria de Administração de Pernambuco.

Por meio de nota, a Comissão de Concursos do Instituto de Apoio à Universidade de Pernambuco (Iaupe) informou que suspendeu as inscrições no certame “para que sejam introduzidas modificações necessárias na composição das provas e no seu conteúdo programático”.

Segundo o Iaupe, “um novo edital encontra-se em elaboração para que se possa iniciar o processo de inscrição”. Os candidatos que iniciaram as inscrições pelo edital revogado devem reiniciá-las quando for publicada a nova versão do documento.

O concurso

Previsto para acontecer no dia 19 de agosto, o concurso oferecia nove vagas para advogados, com remuneração inicial de R$ 3.205. As nove vagas disponíveis eram para cidades no Grande Recife, além de Garanhuns, no Agreste, e Arcoverde e Petrolina, no Sertão.

Escolas do Agreste e Sertão têm melhores índices de desenvolvimento em educação de Pernambuco

sexta-feira, 29 de junho de 2018

Idepe atingiu maior nota desde o início do monitoramento, em 2000, e apontou os três melhores resultados de 12 categorias dos ensinos municipais e estadual.

 

As escolas do Agreste e do Sertão tiveram os melhores resultados no Índice de Desenvolvimento da Educação de Pernambuco (Idepe) 2017. A média geral das unidades de ensino públicas foi de 4,5, maior índice registrado pelo estado, desde o início do monitoramento, em 2000. Também foram premiados os três melhores resultados de 12 categorias, das redes municipais e estadual.

Os destaques na educação receberam prêmios, na manhã desta quinta-feira (28), no Palácio do Campo das Princesas, sede do governo estadual, no Centro do Recife. Professores e gestores de diversas escolas, além de prefeitos e secretários municipais, participaram da cerimônia.

A pontuação das escolas de Pernambuco, segundo o governo do estado, subiu de 4.1 para 4.5, de 2016 para 2017. Este também foi o primeiro ano em que uma escola atingiu as médias 7 e 8 na avaliação.

“Isso é fruto de um trabalho de muita gente, de gestores, professores, alunos, da comunidade escolar e de todos nós. É um caminho que vem dando certo, que tem melhorado as notas, as estruturas e a forma de se fazer educação”, discursou o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB).

O secretário de Educação de Pernambuco, Fred Amâncio, também falou do destaque entre as escolas do interior do estado. “A gente percebe que a melhoria na educação se dá aqui no Recife sim, mas o interior do estado também está avançando muito”, afirmou o secretário.

Redes municipais de ensino

Entre as 10 escolas municipais com melhores resultados nos anos iniciais do ensino fundamental, do 1º ao 5º ano, quatro delas são do município de Bonito, no Agreste. Outras quatro são da mesma região e duas, do Sertão.

A melhor unidade de ensino da categoria foi a Escola Municipal Alaíde Barbosa de Lima, do município da Ingazeira, no Sertão, com média 8,46, a maior entre todas as categorias.

Em segundo lugar ficou a Escola Municipal Severino André de Luna, de Orobó, no Agreste, com média 8,07. E a terceira colocada foi a Escola Municipal Bernardo Sayao, de Bonito, com média 8,01.

Já na categoria dos anos finais do ensino fundamental, entre o 6º e o 9º ano, quatro das 10 melhores escolas são do Agreste, sendo três delas do município de Bonito. Outras seis são de diferentes cidades do Sertão.

Nesta categoria, a melhor escola, com média 7,56 foi a Escola Milton Pessoa, de Triunfo, no Sertão. Em segundo colocado ficou a Escola Municipal Bernardo Sayao, de Bonito, com média 7,39. E com média 6,84 ficou o Grupo Escola Barra Azul, também de Bonito.

Pela primeira vez também foram eleitos os 10 municípios com as melhores médias, considerando o resultado de todas as escolas de cada cidade.

Segundo a premiação do Idepe, as cidades com melhor índice nos anos iniciais do ensino fundamental são os municípios de Quixabá (6,41), Carnaíba (6,33) e Orobó (6,31). Já nos anos finais, os municípios que se destacam Panelas (5,94), Brejinho (5,74), Triunfo (5,47).

Em nenhuma das categorias das redes de ensino municipais foram eleitas escolas do Recife ou de municípios da Região Metropolitana.

Rede estadual de ensino

Na rede estadual de ensino, há apenas os anos finais do ensino fundamental. Das 10 melhores escolas da categoria, oito são do Sertão pernambucano, uma do Agreste e uma da Zona da Mata Norte.

Nesta categoria, foram eleitas com melhor resultado as escolas Tomé Francisco da Silva, de Quixaba, no Sertão, com nota 6,86, a Dário Gomes de Lima, de Flores, no Sertão, com 6,50 e a Professor Sebastião Ferreira Rabelo Sobrinho, de São José do Egito, na mesma região, com 6,39.

Entre as escolas dos anos finais do ensino fundamental da rede estadual também foram eleitas aquelas que obtiveram o maior crescimento se comparado com o ano de 2016.

As vencedoras foram Lions Clube de Carpina, na Zona da Mata Norte, com 58,2%; Escola de Referência em Ensino Médio (EREM) Carlos Pena Filho, de Salgueiro, no Sertão, com 55,5%; e Erica da Silva Leite, de Petrolina, no Sertão, com 50,8%.

No que diz respeito às escolas estaduais de Ensino Médio, oito das 10 melhores são do Sertão de Pernambuco e as outras duas são do Agreste. A escola Apolônio Alves da Silva, de Ibimirim, no Sertão, foi eleita a melhor entre elas, com nota 7,28. A unidade também venceu a categoria de maior crescimento, batendo 117,9% se comparado ao ano anterior.

A segunda melhor escola em ensino médio é a João Rodrigues Leite, de Carnaubeira da Penha, no Sertão, com 7,11. Ela também ficou em segundo na categoria de crescimento, com 73% a mais do que no ano anterior.

Já a terceira melhor escola de ensino médio foi a Erem João Batista de Vasconcelos, de Tacaratu, no Sertão, com 6,99. E a terceira maior em crescimento foi a Erem Jornalista João Ferreira Gomes, de Petrolina, com 72% a mais.

Entre as escolas estaduais com parcerias com outros órgãos, o Recife se destacou. O Colégio de Aplicação do Recife (FCAP UFPE) foi considerado o melhor nos anos finais do ensino fundamental e no ensino médio, com notas 7,94 e 7,37, respectivamente.

Nos anos finais, o segundo colocado foi a Escola de Aplicação Professora Ivonita Alves, de Garanhuns, no Agreste, com 7,25, e a Escola Professora Vande de Souza Ferreira, em Petrolina, com 6,43.

No ensino médio, o segundo colocado foi o Anexo I do Colégio da Polícia Militar de Petrolina, com 6,45. O terceiro lugar foi também a Escola de Aplicação Professora Ivonita Alves, com 6,43.

As últimas duas categorias fizeram menção às Gerências Regionais de Educação (GRE), elegendo as que tiveram maiores médias e as que apresentaram maior crescimento em comparação com o ano de 2016.

Foram eleitas as melhores a GRE Vale Capibaribe, no Agreste, com média 5,19; a GRE Sub Médio do São Francisco, com 5,06; e a GRE Sertão do Pajeú, com média 4,89.

Já as que mais cresceram no último ano foram a GRE Moxotó Ipanema (14,3%), a GRE Metropolitana Sul (13,7%) e a GRE Sertão do Araripe (13,5%).

Prouni: inscrições para a seleção do 2º semestre de 2018 já estão abertas

terça-feira, 26 de junho de 2018

São oferecidas 174 mil bolsas de estudo no ensino superior; para participar é preciso ter alcançado no mínimo 450 pontos de média nas notas do Enem 2017.

As inscrições para as 174 mil bolsas do Programa Universidade para Todos (Prouni) do 2º semestre de 2018 já estão abertas. Os candidatos devem se inscrever pelo site do programa entre esta terça-feira (26) até sexta-feira (29).

Segundo o Ministério da Educação (MEC), neste segundo semestre serão oferecidas 174.289 bolsas de estudo totais e parciais para o ensino superior. É possível consultar as bolsas, pelo site do Prouni, filtrando pelo nome do curso, instituição ou município.

Para concorrer às bolsas, o candidato deve informar o número de inscrição no Enem 2017 e a senha mais atual cadastrada no exame. Quem esqueceu as senhas, tem a opção de resgatá-las com o número do CPF.

Quem pode se inscrever

Para se inscrever no Prouni é preciso ter participado do Enem de 2017 e ter obtido no mínimo 450 pontos na média das notas do exame, além de não ter zerado na redação.

Além disso, o candidato precisa atender a pelo menos um desses requisitos:

  • ter cursado o ensino médio completo em escola da rede pública;
  • ter cursado o ensino médio completo em escola privada, mas como bolsista integral;
  • ter cursado o ensino médio parcialmente em escola da rede pública e parcialmente em escola privada, mas como bolsista integral;
  • ter alguma deficiência;
  • ser professor da rede pública de ensino.

Para concorrer às bolsas integrais, o candidato deve comprovar renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até um salário mínimo e meio. Para as bolsas parciais (50%), a renda familiar bruta mensal deve ser de até três salários mínimos por pessoa.

Calendário Prouni 2018

  • 2 de julho: lista de candidados da primeira chamada
  • 2 de julho a 10 de julho: comprovação de informações dos alunos da primeira chamada
  • 16 de julho: lista de candidatos da segunda chamada
  • 16 de julho a 23 de julho: comprovação de informações dos alunos da segunda chamada
  • 30 e 31 de julho: prazo para participar da lista de espera
  • 2 de agosto: divulgação da lista de espera

Secretaria de Educação de PE abre inscrições para seleção com 64 vagas para o Programa Ganhe o Mundo

terça-feira, 19 de junho de 2018

Oportunidades de intercâmbio são para países de línguas espanhola e alemã.

Estão abertas, a partir desta terça-feira (19), inscrições para um processo seletivo com 64 vagas para o programa de intercâmbio Ganhe o Mundo. Do total, 63 são para língua espanhola e uma para língua alemã. A seleção é voltada para estudantes entre 14 e 17 anos, matriculados no 2º ano do ensino médio em escolas públicas estaduais em 2018.

Para os interessados no intercâmbio de língua alemã, a inscrição pode ser feita nesta terça (19) e na quarta (20). Já para os interessados em viajar a um país de língua espanhola, as inscrições começam na quarta (20) e seguem abertas até 27 de junho. O edital pode ser conferido no site da Secretaria Estadual de Educação (SEE).

É preciso, no entanto, que o candidato tenha participado de todo o processo seletivo do Programa Ganhe o Mundo em 2017 e não tenha sido classificado. As inscrições podem ser feitas por meio do e-mail programaganheomundointercambio@educacao.pe.gov.br. O formulário de inscrição pode ser encontrado no site da SEE.

A primeira etapa consiste em verificar se o candidato se enquadra nos requisitos estabelecidos pelo programa. Já na segunda, os estudantes são submetidos a uma prova do idioma cursado. Na última etapa, os candidatos são classificados de acordo com as notas obtidas nas avaliações.

De acordo com a secretaria, os estudantes selecionados vão cursar um semestre letivo em uma escola de nível médio nos países correspondentes. O embarque está previsto para os períodos de junho a setembro de 2018 e janeiro a março de 2019.

Fim de semana marcado pela violência em Pernambuco com 44 assassinatos

segunda-feira, 04 de junho de 2018

O fim de semana foi bastante violento em Pernambuco, com 44 pessoas assassinadas. Vinte e dois homicídios aconteceram neste domingo (03). No ano registrados 1.876 assassinatos no Estado, 754 no Grande Recife e 1.122 no interior.
No Agreste, registrados homicídios no fim de semana em Cupira, São Caetano e Brejo da Madre de Deus.
Em Caruaru, ocorreram duas tentativas de homicídio. Na manhã de sábado (02), um motoqueiro foi esfaqueado na Avenida Lourival José da Silva, próximo da Feira de Artesanato. Jamison Alves da Costa, 37 anos, se envolveu em um acidente de trânsito com o motorista Edilson Ramos de Oliveira, 47, detido em flagrante.
O motoqueiro foi socorrido para o Hospital Regional do Agreste (HRA) e a polícia descobriu que a motocicleta era roubada e ele era foragido da Justiça de São Paulo sob a acusação de um homicídio. Jamison foi autuado em flagrante pelo crime de receptação e será encaminhado para a Penitenciária Juiz Plácido de Souza.
No bairro São João da Escócia, um homem foi esfaqueado na Academia da Cidade e socorrido para o HRA.
Em Santa Cruz do Capibaribe, um policial militar foi baleado durante uma tentativa de latrocínio, no bairro Nova Morada. Edílson Costa da Silva, 53 anos, foi abordado por quatro assaltantes em duas motocicletas e tentou reagir.
Após o disparo, os criminosos fugiram levando a arma do policial, que foi baleado no braço e socorrido para a UPA 24h.

Ir para o Topo do Site

CONTATO

Email: jornalomonitor@outlook.com
Fone: (87) 98116.4469
WhastApp: (87) 98105.0692

Rua Capitão Pedro Rodrigues, 115 - No Prédio da RÁDIO 87 FM
Garanhuns, Pernambuco

 EDITORIAL

Diretor(a): Osman Benício
Uiadja Holanda Editor: Douglas Liberato