Cidade de Karl Marx vende notas de 0 euro para marcar seu aniversário

quarta-feira, 18 de Abril de 2018

Notas estão sendo vendidas por 3 euros em Trier, Alemanha, para comemorar os 200 anos de nascimento do criador do comunismo.

Os trabalhos mais conhecidos e influentes de Marx são “O Manifesto Comunista”, escrito junto com Friedrich Engels e publicado em 1848 e sua análise crítica do capitalismo “O Capital”, lançado duas décadas depois.

“O souvenir brinca com as críticas de Marx ao capitalismo e, claro, a nota de 0 euro combina perfeitamente com Marx como tema”, disse Norbert Kaethler, diretor-geral do Departamento de Turismo de Triers.

Ele observou que Marx não ganhou muito dinheiro com suas teorias e viveu na pobreza por diversos anos de sua vida.

A cidade sente orgulho de um de seus moradores mais famosos, embora alguns alemães responsabilizem suas ideias pela ascensão de ditadores comunistas na Rússia, China e em Cuba e pela divisão de seu país durante a Guerra Fria.

A cidade está aproveitando ao máximo o aniversário de 200 anos de seu nascimento que acontecerá no dia 5 de maio. Outros itens comemorativos incluem um pato de borracha barbado com uma cópia de “O Capital” debaixo de uma asa, representando Marx.

Banco vai oferecer crédito alternativo a cheque especial

terça-feira, 10 de Abril de 2018

Os bancos passarão a oferecer linhas de crédito mais baratas para os clientes que usarem mais de 15% do limite do cheque especial por um período maior que 30 dias. Os detalhes da proposta de autorregulação serão anunciados hoje, apurou o Valor com fontes que acompanham o assunto. A mudança será válida a partir de 1º de julho. O objetivo é limitar

O objetivo é limitar a permanência dos clientes no cheque especial, que deveria ser usado apenas em situações de emergência e por um período breve. A linha funciona como um limite de crédito concedido quando o cliente gasta além dos recursos disponíveis na conta. Mas os bancos cobram caro por essa facilidade.

Em fevereiro, a taxa de juros média do cheque especial era de 324,1% ao ano, muito acima da média nas linhas para o consumidor com recursos livres, que estava em 57,7% ao ano.

A proposta a ser detalhada hoje pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban) prevê que, depois de 30 dias no cheque especial, os correntistas sejam direcionados para modalidades de crédito mais baratas. A oferta será feita pelos bancos a todos os correntistas que usarem mais de 15% do limite por mais de um mês.

A avaliação é que o uso além desse percentual por um período prolongado significa que o cliente precisa de um crédito com prazo e juros mais adequados. A mudança não será obrigatória, como ocorreu no caso das regras do rotativo do cartão de crédito. Mas os bancos devem prestar contas da adesão ao Banco Central.

A autorregulação preparada pela Febraban é uma resposta a um pedido do BC para que os bancos encontrem formas de reduzir o spread bancário. Os juros cobrados pelas instituições financeiras da pessoa física têm caído em ritmo inferior à taxa básica de juros (Selic), que atingiu a mínima histórica de 6,5% ao ano. As taxas do cheque especial estão entre as mais altas do sistema financeiro. A expectativa é que a medida tenha um impacto positivo na redução do custo de crédito.

Bancos acompanham BC e anunciam corte nos juros

quarta-feira, 07 de Fevereiro de 2018

Juros menores anunciador por Banco do Brasil, Itaú Unibanco, Bradesco e Santander vão beneficiar pessoas físicas e jurídicas

Esta é a 9ª redução seguida de juros dos bancos

Banco do Brasil, Itaú Unibanco, Bradesco e Santander anunciaram na sequência da decisão do BC (Banco Central) de cortar a básica de juros da economia, a Selic, de 7% pra 6,75% ao ano, que vão repassar a redução para suas principais linhas de crédito.

Os juros menores vão beneficiar, conforme comunicados dessas instituições, pessoas físicas e jurídicas. Trata-se da nona redução consecutiva que os bancos anunciam desde o início do processo de afrouxamento monetário por parte do Banco Central.

 

Banco do Brasil

No BB (Banco do Brasil), as novas taxas começam a valer a partir da próxima sexta. No caso das pessoas físicas, o juro menor será para os empréstimos em que o cliente oferecer seu automóvel como garantia, nos quais as taxas serão reduzidas de 1,83% ao mês para 1,73% ao mês, na faixa mínima.

Já no caso das linhas em que o cliente oferece seu imóvel como garantia, o chamado home equity, os juros mínimos passam de 1,40% ao mês para 1,38% ao mês.

No financiamento de veículos novos e seminovos, contratados via canal mobile — no aplicativo do BB —, a taxa passará para 0,93% ao mês, ante 0,95% ao mês cobrados até então. Para as linhas de empréstimo pessoal sem garantia, o juro mínimo será reduzida de 3,33% ao mês para 3,31% ao mês.

O BB destaca ainda que também reduzirá os juros para pessoas jurídicas. Na linha desconto de cheque, as taxas mínimas passarão para 1,32% ao mês ante 1,34%. No desconto de títulos, vão cair dos atuais 1,16% ao mês para 1,14% ao mês. Os juros de linhas de capital de giro e antecipação de recebíveis para lojistas também ficarão mais atrativos.

Santander

O Santander informou que as novas taxas vão valer a partir da próxima segunda-feira, dia 12. O juro mínimo do financiamento de veículos cairá de 1,08% para 0,97% ao mês. No crédito pessoal, passará de 1,59% para 1,57% ao mês, e, no cheque especial, de 2 25% ao mês para 2,23% ao mês.

“Estamos no menor patamar histórico da taxa básica no País. Temos o compromisso de levar a dinâmica de redução deste componente dos juros bancários aos nossos clientes, para que eles possam prosperar cada vez mais”, afirma Eduardo Jurcevic, superintendente executivo de Produtos de Crédito à Pessoa Física do Santander.

Bradesco 

Já o Bradesco informou que vai repassar o corte de 0,25 ponto porcentual da taxa Selic em suas principais linhas de crédito de pessoa física e pessoa jurídica.

No Itaú Unibanco, as novas taxas passam a valer a partir do dia 14. Segundo o banco, haverá redução das taxas do empréstimo pessoal para pessoas físicas, com a taxa mínima passando de 1,48% para 1,37% ao mês. Para micro e pequenas empresas, serão alterados os juros cobrados na linha de capital de giro. O banco destaca ainda, em nota à imprensa, que no crédito a veículos, no qual apresentou crescimento do volume concedido no quarto trimestre de 2017 pela primeira vez em 21 trimestres, já vem reduzindo a taxa de financiamento, convergindo com a queda da Selic.

Itaú Unibanco

Apesar da redução dos juros, que caíram ao menor patamar na história do País, o presidente executivo do Itaú Unibanco, Candido Bracher, afirmou na terça-feira (6), em conversa com a imprensa, que espera que os spreads se mantenham estáveis neste ano a despeito da queda da Selic e da agenda do BC para baixar o custo financeiro do País. Tende a contribuir para isso, conforme ele, uma maior demanda por crédito que deve elevar o volume de empréstimos e, consequentemente, compensar menores margens.

Para o presidente da Austin Rating, Erivelto Rodrigues, os bancos terão de buscar formas de compensar a queda dos juros neste ano, já que as margens financeiras serão impactadas tanto do lado da tesouraria quanto nas transações de crédito. “Não terá outro jeito – para os bancos compensarem as menores margens – se não crescer a carteira de crédito com qualidade neste ano”, avalia ele.

O Copom (Comitê de Política Monetária), do BC (Banco Central) optou nesta quarta-feira (7) pelo 11º corte seguido da taxa básica de juros da economia brasileira, a Selic. Com a redução, os juros vão figurar na casa dos 6,75% ao ano e afetar financiamentos e as taxas do cartão de crédito. Confira a seguir as simulações, segundo cálculos desenvolvidos pela Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade)

Foto: Divulgação/Banco Central

Produção de petróleo da Venezuela cai para mínima em 28 anos em meio a crise

sexta-feira, 19 de Janeiro de 2018

País produziu 2,072 milhões de barris por dia (bpd) em 2017, contra 2,373 milhões de bpd no ano anterior.

A produção de petróleo da Venezuela caiu cerca de 13% no ano passado, segundo dados divulgados pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) nesta quinta-feira (18), atingindo uma mínima anual em 28 anos que sugere um aprofundamento na crise econômica do país e maiores riscos de um calote nas dívidas.

O país sul-americano produziu 2,072 milhões de barris por dia (bpd) em 2017, contra 2,373 milhões de bpd no ano anterior, uma queda de quase 300 mil bpd. Foi a maior retração entre os 13 países da Opep que se comprometeram com cortes de produção recentemente prorrogados para até o final de 2018.

Ao contrário dos cortes voluntários de produtores como a Arábia Saudita e a Rússia que buscavam elevar os preços, a Venezuela não tem conseguido evitar a queda de sua produção por seis anos consecutivos.

Uma destrutiva mistura de investimentos insuficientes, atrasos em pagamentos a fornecedores, sanções dos Estados Unidos e fuga de profissionais qualificados do país tem prejudicado a indústria de petróleo venezuelana.

A queda na produção também atingiu as exportações de petróleo -principal fonte de moeda estrangeira do país para pagamento de dívidas- e o refino, criando situações de escassez ocasional do combustível no país e em alguns de seus principais aliados, como Cuba.

A derrocada venezuelana é notável para um país da Opep que abriga as maiores reservas mundiais de petróleo. A retração da produção petrolífera também tem contribuído para piorar a recessão e a hiperinflação que tem resultado em milhões de pessoas que já não conseguem fazer três refeições por dia.

O Ministério do Petróleo da Venezuela e a estatal PDVSA não responderam a pedidos de comentário.

Governo anuncia liberação de R$ 420 milhões para o Rio Grande do Norte

quarta-feira, 17 de Janeiro de 2018

Informação foi divulgada pelo Ministério da Fazenda. Dos R$ 420 milhões, R$ 320 milhões serão destinados à saúde e os demais R$ 100 milhões, à segurança pública. Estado enfrenta crise financeira.

Ministério da Fazenda informou nesta terça-feira (16) que o governo federal vai liberar R$ 420 milhões para o Rio Grande do Norte.

Mais cedo, nesta terça, o governador do estado, Robinson Faria, esteve no Palácio do Planalto para se reunir com o presidente Michel Temer e com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

O Rio Grande do Norte enfrenta uma crise nas contas públicas, com atrasos nos pagamentos dos servidores, por exemplo.

Nesta segunda, o governo estadual enviou à Assembleia Legislativa um pacote de medidas de ajuste fiscal com 18 propostas para controlar os gastos públicos.

O repasse

Segundo o governo federal, dos R$ 420 milhões, R$ 320 milhões serão destinados à saúde e os demais R$ 100 milhões, à segurança pública.

De acordo com o Ministério da Fazenda, os repasses serão feitos por meio de convênios e programas já existentes.

O montante, acrescentou a pasta, é oriundo do Orçamento da União.

Greve de policiais

O atraso no pagamento dos servidores do estado fez os policiais militares e bombeiros do Rio Grande do Norte ficarem em greve por quase um mês.

Neste período, aumentaram os casos de violência no estado, com saques a lojas, mortes e assaltos.

Diante da crise na segurança, o Ministério da Justiça atendeu a um pedido do governo estadual e enviou tropas da Força Nacional à região para reforçar o combate aos crimes.

S&P rebaixa nota de crédito do Brasil

quinta-feira, 11 de Janeiro de 2018

Com o novo corte, rating do país fica 3 degraus abaixo do grau de investimento. Agência cita atraso em aprovação de reformas para ajustar contas públicas.

A agência internacional de risco Standard&Poor’s (S&P) rebaixou nesta quinta-feira (11) a nota de crédito soberano do Brasil de “BB” para “BB-“. Com isso, o rating do Brasil segue sem o selo de país bom pagador, mas agora três degraus abaixo do grau de investimento. Já a perspectiva para a nota mudou de negativa para estável.

O rebaixamento já era esperado por parte do mercado em razão das dificuldades do governo no para conseguir a aprovação da reforma da Previdência.

Na justificativa para a decisão, a agência apontou como “uma das principais fraquezas do Brasil” o atraso na aprovação de medidas fiscais que reequilibrem as contas públicas.

“Apesar de vários avanços da administração Temer, o Brasil fez progresso mais lento que o esperado em implementar uma legislação significativa para corrigir a derrapagem fiscal estrutural e o aumento dos níveis de endividamento”, destacou a S&P, acrescentando que a incertezas por causa das eleições de 2018 agravam esse cenário.

Além da dificuldade em aprovar reformas com efeitos de longo prazo, a S&P destacou ainda que “ocorreram retrocessos até mesmo medidas fiscais de curto prazo – como uma determinação para suspender o adiamento das altas de salários dos funcionários públicos e as contribuições de segurança social dos trabalhadores do setor público”.

Meirelles lamenta atraso na reforma da Previdência

Após o anúncio da decisão, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, lamentou que o Congresso não tenha aprovado a reforma da Previdência até agora, informou o Blog do João Borges.

Além da reforma da Previdência, Meirelles mencionou entre as medidas ainda não aprovadas a reoneração da folha de pagamento de empresas, a taxação dos fundos exclusivos, o adiamento do aumento dos servidores públicos (suspenso por decisão liminar do Supremo Tribunal Federal) e o aumento de 10% para 14% da contribuição previdenciária dos servidores públicos.

Jornalista da BBC se demite por discriminação salarial

segunda-feira, 08 de Janeiro de 2018

Desde o ano passado, BBC passou a revelar os salários de seus funcionários mais bem remunerados.

A jornalista da BBC Carrie Gracie anunciou nesta segunda-feira (8) sua demissão como correspondente na China em função da discriminação salarial entre homens e mulheres no consórcio dos meios de comunicação públicos britânicos. Carrie trabalhou na BBC por mais de 30 anos.

Gracie falou da crise de confiança que a BBC vive desde que o consórcio se viu obrigado no ano passado a revelar os salários de seus funcionários mais bem remunerados.

“Os dados mostraram uma indefensável brecha salarial entre homens e mulheres que fazem o mesmo trabalho”, escreveu Gracie em um artigo em que anuncia sua demissão.

Gracie abandonará o posto de correspondente na China e voltará para Londres.

A jornalista recordou que cerca de 200 funcionárias da BBC apresentaram queixas sobre seus salários.

Segundo os dados difundidos em julho passado, dois terços do pessoal que ganha mais de 150.000 libras por ano (US$ 203 mil) eram homens.

A demissão de Gracie foi amplamente difundida nos noticiários da BBC, que se defendeu das acusações assegurando que não existe uma discriminação sistemática contra as mulheres em seu serviço.


Ir para o Topo do Site

CONTATO

Email: jornalomonitor@outlook.com
Fone: (87) 98116.4469
WhastApp: (87) 98105.0692

Rua Capitão Pedro Rodrigues, 115 - No Prédio da RÁDIO 87 FM
Garanhuns, Pernambuco

 EDITORIAL

Diretor(a): Osman Benício
Uiadja Holanda Editor: Ailton Lopes